Envelhecimento

A idade que se diz de um Bonsai pode ser uma ilusão, existem técnicas de envelhecimento aparente que faz uma árvore de 20 anos aparentar 100. Como já vimos na aramação é possível educar uma árvore jovem a que se pareça com uma solitária e velha "senhora" numa qualquer floresta. É possível molda-la e conferir-lhe estética e beleza, mas existem outras técnicas de envelhecimento que, muitas vezes, são utilizadas para esconder defeitos mas também para cumprir um projecto a que aquela árvore em especial se presta, refiro-me aos JIN, URO; SHARI e SABAMIKI. ou seja, escarificações que metem a nu a madeira sem que com isso a árvore venha a sofrer ou deixe de crescer saudável.

Embora existam Bonsai cuja idade se perde no tempo  e se estima que tenham umas centenas de anos, com boa estrutura radicular, troncos maciços e pernadas bem definidas, isso não é, só por si, sinónimo da  idade avançada que elas têm pois podemos criar todas estas qualidades numa árvore mais jovem e é isso que nos propomos ensinar nestas técnicas avançadas.

Como foi visto anteriormente em "Poda" a aramação pode dar á árvore um aspecto maduro, dobrando os seus troncos para baixo, também o desenvolvimento das raízes lhe podem conferir maturidade, e apoda fazer com que a coroa da árvore seja imponente, bem desenvolvida, típico das árvores velhas. Na realidade estas são técnicas obrigatórias no cultivo do Bonsai mas para lhe dar o verdadeiro efeito de envelhecimento não há nada como as escarificações, os tão conhecidos..... 

Jin e Shari 

Entre os truques usados  para envelhecer um bonsai, o destaque vai para a técnica da madeira inoperante ou escarificada. Utiliza-se para dar a impressão de uma árvore que vive em alta montanha, desprotegida e isolada, fustigada pelos elementos da natureza;  relâmpagos e tempestades, ou que tenha sofrido algum outro trauma há muito tempo. Na natureza só as árvores muito velhas é natural ver com estes "traumas" o que no Bonsai seria coisa impossível acontecerem devido aos caprichos da natureza, dado que os temos protegidos.

Os Jin e os Shari são vistos geralmente nas coníferas, pinheiros e zimbros, tal como já tinha dito anteriormente. Utilizam-se frequentemente para esconder um defeito em árvores colhidas na natureza ou compradas em centros de jardinagem as quais deveremos transformar em Bonsai e por conseguinte, deveremos cortar, partir e descascar uma ou outra pernada, ou o próprio tronco, que seja menos estética ou que não se enquadre ao projecto que temos pensado fazer. Nas fotos abaixo podemos ver este processo de criação de um JIN num pinheiro.

As ferramentas utilizadas para estes trabalhos vão desde lâminas, formões, limas, alicates e máquinas eléctricas com pontas abrasivas.

 

     

 

 

Este zimbro  mostra na pernada mais baixa á direita e no cimo da copa o Jin, enquanto no tronco se pode ver um Shari no lado esquerdo. A tira de tecido vivo na direita do tronco responsabiliza-se por manter a folhagem viva e alimentada. Estes efeitos de madeira branca são muito agradáveis á vista. Embora possam parecer mutilações que façam sofrer a planta, isso na realidade não acontece pois a madeira no interior do tronco somente serve de suporte á árvore, o alimento, esse passa através da casca.


.

 

     

Sabamiki

Sabamiki é outro processo de envelhecimento.  O tronco aberto, oco, tal como na foto ao lado. Esta não é uma técnica para principiantes, requer muito cuidado e um bom trabalho com brocas, pontas abrasivas, formões e máquinas com discos cortantes do tipo rebarbadoras.

A melhor altura para efectuar estas escarificações nos pinheiros é sem duvida o inverno pois aí as plantas estão no seu período de repouso e a seiva (resina) não brotará como se fosse efectuado na primavera.

 

   

Falso Shari

Outro processo para criar um SHARI,  cujo efeito se pode ver nas duas fotos mais abaixo, é o que eu chamo de "falso Shari"  e consiste em utilizar madeira "postiça" morta em simbiose com uma árvore muito jovem.  

Como se pode ver abaixo o troco da árvore somente tem cerca de um centímetro de espessura e está agarrada a um tronco ou raiz que, neste caso, actua como sendo o tronco verdadeiro onde foi efectuado um Shari.

Para realizar este trabalho deveremos retirar a casca da árvore no ponto onde esta vá ficar em contacto com a madeira morta e prendemos a árvore a essa madeira com pregos de latão (não criam oxidação). Ainda pode ser efectuada uma "cama" para o tronco vivo escavando ligeiramente a madeira morta e embutir aí a árvore para lhe dar um efeito mais real.

   

  Tratamento de Jin, Shari e Sabamiki

A madeira morta deverá ser tratada, também já aqui foi dito que é utilizada cal e enxofre para a tornar branca, este processo deve ser realizado anualmente ou umas semanas antes de uma exposição onde o Bonsai vá concorrer. Para esse tratamento existe no mercado um líquido para Jin, o qual pode ser fabricado em casa da seguinte forma:

125 gramas de enxofre
75 gramas de cal viva
1 litro de água.
Preparação:
Misturar o litro de água com a cal e levar ao lume até ferver mexendo sempre. Adicionar então o enxofre lentamente sem deixar de mexer. Manter essa solução em ebulição até que o enxofre desapareça e o preparado tome uma cor amarela. Pode acontecer que a cal não se dissolve por completo, então teremos de filtrar esse líquido e guarda-lo. Para a sua utilização retirar a quantidade necessária e utilizar um pincel para a sua aplicação na madeira. O líquido que sobrar do tratamento não deve ser reutilizado pois pode estar contaminado.

 

Voltar